Em seis meses, Brasil dobrou o número de instalações de painéis de energia solar

Boas notícias para quem pensa em fazer um curso de energia solar. Segundo dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o país concluiu em abril de 2017, a instalação e conexão de mais de 10 mil painéis solares de microgeração de energia, que geram juntos 112 megawatts.  Ainda é pouco se compararmos com a energia eólica, que em 2016 adicionou à rede 2000 megawatts.

Porém esses dados mostram que a energia solar no Brasil vem crescendo grandemente, já que em outubro de 2016 o país tinha somente 5 mil painéis solares na rede. O número de instalações dobrou no período de seis meses.

O crescimento de energia solar no país está ocorrendo quase que exclusivamente na modalidade de microgeração de energia. Ou seja, o Brasil não está instalando grandes usinas centralizadas de energia solar como faz de costume com outras fontes de energia, mas sim os próprios consumidores que estão instalando painéis solares nos telhados de suas casas ou empresas, o conectando na rede de energia, trocando a eletricidade por menos despesas e a compensação na conta de luz.  24

Por conta deste aumento do uso de energia solar no país, podemos ficar otimistas de que este número só irá crescer ao longo do tempo, de acordo com a estimativa da área de Regulação dos Serviços de Distribuição da Aneel, no ano de 2024, o número de instalações terá atingido a marca de 1,2 milhões.

Esta é uma ótima notícia para os instaladores de energia solar e também para a população brasileira, já que os profissionais da área irão ter mais oportunidades no mercado de trabalho e o Brasil será beneficiado com menos impactos ambientais causados pelas ações humanas, empreendedores e famílias também terão menos despesas ao utilizarem este tipo de energia, gerando qualidade de vida para a família e funcionários. No caso dos empreendedores, suas empresas terão uma melhor visão no olhar dos clientes, pois reconhecerão sua iniciativa de ser ambientalmente correto.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.